Pesquisa

Pedido de liberdade de Lula deve ser julgado nesta semana pelo STF.

em segunda-feira, 24 de junho de 2019


Caso Lula seja solto, o Brasil terá a maior manifestação da sua história no próximo dia 30 de junho.

O plano arquitetado pelos militantes de esquerda parece estar surtindo efeito.
As conversas privadas que foram obtidas de forma ilegal podem ter peso na votação do habeas corpus solicitado pela defesa de Lula onde alega suspeição de Moro e questiona a atuação do mesmo na condenação do ex-presidente.

O pedido de liberdade foi solicitado ainda em 2018, quando o então juiz Sérgio Moro aceitou ocupar o cargo de Ministro da Justiça e Segurança Pública, e dois ministros do Supremo já votaram favoravelmente à soltura de Lula: Luiz Edson Fachin e Cármen Lúcia.

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, demonstrou bom senso ao se manifestar de forma contrária à concessão de liberdade ao ex-presidente: “Estas circunstâncias jurídicas têm elevado o grau de incerteza neste momento processual, que impede seu uso com evidência a corroborar a alegação de suspeição feita pela defesa do paciente neste autos”.

O julgamento do habeas corpus está previsto para amanhã (25), e devem votar os ministros: Gilmar Mendes – que havia pedido mais tempo para analisar o processo e p novamente para votação no último dia 10 -, Ricardo Lewandowski e Celso de Mello . Alguém consegue arriscar como será o voto dos três?

É evidente que Gilmar cozinhou o processo em banho-maria enquanto a conjuntura não fosse favorável para tal votação, pois o mesmo liberou o habeas corpus para votação um dia após a divulgação das primeiras conversas hackeadas. Entretanto, o ministro parece estar ignorando o fato de que os brasileiros seguem apoiando Sérgio Moro e a Operação Lava Jato. E o apoio está mais forte do que nunca.

*As informações são do MBL NEWS.

Nenhum comentário:

Postar um comentário



Topo