Pesquisa

Uma jovem de 19 anos acusa PMs de estuprá-la dentro da viatura durante uma "carona".

em quinta-feira, 13 de junho de 2019

O caso acorreu na cidade de Praia Grande, no litoral de São Paulo. Policiais negam o crime.


Segundo a garota, o crime teria acontecido na noite desta quarta-feira (12). Os agentes negam o crime. O caso foi registrado na Delegacia Sede da cidade e será investigado pela Delegacia de Defesa da Mulher (DDM).

Segundo informações apuradas pelo G1, os policiais militares acusados estavam parados com a viatura em frente a um shopping de Praia Grande, quando foram abordados pela jovem que alegava ter sido perseguida por um criminoso que tentou assaltá-la nas proximidades do local onde os policiais estavam estacionados.

A equipe teria colocado a vítima na viatura para levá-la até o Terminal Rodoviário Tude Bastos, na mesma cidade e, neste momento, segundo relato da jovem, eles desviaram o caminho e a estupraram dentro do veículo. Depois do ocorrido, ela teria sido "liberada" pelos policiais e foi até a casa do sogro e contou o que havia acontecido.

De acordo com a polícia, eles acionaram a Polícia Militar e a jovem foi encaminhada para o Hospital Municipal de São Vicente para realização de exames. O celular da jovem foi encontrado dentro da viatura onde teria acontecido o estupro, e os policiais acusados afirmaram que, após a carona, tentaram devolver o aparelho para a jovem, mas o ônibus já havia saído do Terminal.

Os policiais negam que tenham cometido o crime. A viatura foi encaminhada para perícia e o caso registrado na Delegacia Sede de Praia Grande. O G1 entrou em contato com a Polícia Militar para obter um posicionamento da corporação sobre o caso e, em nota, a PM informou que instaurou Inquérito Policial Militar para apurar os fatos e que está buscando provas testemunhais, além de verificação de imagens do videomonitoramento da prefeitura de Praia Grande, e do shopping onde os patrulheiros estavam próximos, estacionados em viatura.

Nenhum comentário:

Postar um comentário



Topo