Pesquisa

Defesa de Hacker afirma que intenção era vender informações de Moro ao PT.

em quinta-feira, 25 de julho de 2019

As declarações foram dadas por Ariovaldo Moreira, defensor de Gustavo Henrique Elias Santos e de sua mulher, Suelen Oliveira

O advogado de um dos suspeitos de hackear o celular do ministro da Justiça, Sergio Moro, afirmou nesta quarta-feira (24) que, segundo seu cliente, o objetivo de Walter Delgatti Neto, outro envolvido no caso, era vender o conteúdo das mensagens interceptadas ao Partido dos Trabalhadores.

As declarações foram dadas por Ariovaldo Moreira, defensor de Gustavo Henrique Elias Santos e de sua mulher, Suelen Oliveira  -ambos em prisão temporária no âmbito da Operação Spoofing. Delgatti também está detido.
“Ele [Elias Santos] confirma que o Walter [Delgatti] tinha ao menos informações acerca da conta de Telegram do juiz Moro. A única coisa que ele acrescentou a mais é que a intenção [de Delgatti] era vender essas informações ao PT”, disse Moreira a jornalistas, na Superintendência da Polícia Federal em Brasília, depois de acompanhar os depoimentos de seus clientes.

O advogado disse ainda que Elias Santos “não estava envolvido na empreitada criminosa” e que seu cliente não sabe se a venda do material ao partido político de fato ocorreu.
“O Walter disse que a intenção seria vender ao PT”, reafirmou o advogado.
Questionado por jornalistas sobre o fato de Delgatti ter sido filiado ao DEM, o advogado disse que a mesma pergunta foi feita a seu cliente no interrogatório, mas que Elias Santos “não soube responder”.
“O que o Gustavo sabe é que o Walter tem uma certa afinidade com o Partido dos Trabalhadores”, argumentou o defensor

As informações são da FolhaPress

Nenhum comentário:

Postar um comentário



Topo