Pesquisa

Dilma foi a líder em gastos com diárias e passagens de assessores em 2018

em segunda-feira, 29 de julho de 2019

Os gastos com até 8 assessores são cobertos pelo governo.

A ex-presidente Dilma Rousseff (PT) concentrou despesas de viagens com assessores a que tem direito por ser ex-chefe do Executivo no período da campanha ao Senado Federal por Minas Gerais, segundo dados do governo federal obtidos pelo R7 por meio da Lei de Acesso à Informação.

Nas viagens que aconteceram total ou parcialmente entre 16 agosto - início oficial do período de campanha eleitoral - e 7 de outubro, data da eleição, foram 295 diárias pagas, quase a metade de todo o ano. O custo para os cofres públicos foi de R$ 66,4 mil, 26,4% do gasto de todo o ano da ex-presidente com os assessores. Pelo menos quatro funcionários ficaram em companhia da ex-presidente por mais de 40 dias.


O gasto no período superou intervalos em que foram feitas viagens internacionais, como a Buenos Aires, Londres e Manchester (Inglaterra), Califórnia (EUA) e Madri e Barcelona (Espanha) - ocasiões que a presidente aproveitou para falar da situação política no país e da prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Ao final da eleição, Dilma não conseguiu se eleger senadora. Procurada na quarta-feira (24), a ex-presidente não comentou os gastos durante a campanha em 2018.

Líder em gastos

Dilma foi a líder em gastos com diárias e passagens de assessores em 2018. Já Lula concentrou seus gastos até o começo de abril, pois foi preso no dia 7 daquele mês. Em maio, a Justiça privou Lula dos benefícios em razão da prisão. O que menos gastou foi Fernando Henrique Cardoso (PSDB). Veja o ranking e quanto cada um dos ex-presidentes gastou:

1 - Dilma Rousseff - R$ 576.821,10

2 - Collor - R$ 360.609,93

3 - José Sarney - 129.660,06

4 - Lula - R$ 95.999,55

5 - Fernando Henrique Cardoso - R$ 3.008,82


*Com informações do portal R7.

Nenhum comentário:

Postar um comentário



Topo