Pesquisa

Em áudio, tesoureiro do PCC diz que Moro veio para "atrasar" e revela como era diálogo com o PT

em sexta-feira, 9 de agosto de 2019


Gravações obtidas e divulgadas pelo Jornal da Record a partir de uma investigação do Ministério Público do Paraná revelaram pela primeira vez o impacto que as transferências dos chefes da maior facção do país para presídios federais causou na comunicação interna da quadrilha.

Nas escutas, autorizadas pela Justiça, quem fala é Alexsandro Pereira, conhecido como Elias, que era o tesoureiro nacional da organização criminosa e foi preso nesta semana. Em uma das conversas, ele reclama das ações do atual governo, especialmente de Sérgio Moro, e diz que o diálogo era mais fácil em gestões anteriores.

Alexsandro Roberto Pereira, conhecido como “Elias” ou “Veio”, xinga Sergio Moro e reclama da falta de diálogo com o atual governo.

“Com ‘nóis’ já não tem diálogo, não, mano. Se vocês estava [sic] tendo diálogo com outros, que estava na frente, com nóis já não vai ter diálogo, não. Esse Moro aí, esse cara é um filha da p…, mano. Esse cara aí é um filha da p… mesmo, mano. Ele veio pra atrasar”, diz o criminoso.

Elias prossegue:


“Ele começou a atrasar quando foi pra cima do PT. Pra você ver, o PT com nóis tinha diálogo. O PT tinha diálogo com nóis, cabuloso, mano, porque… situação que nem dá pra nóis ficar conversado a caminhada aqui pelo telefone, mano. Mas o PT, ele tinha uma linha de diálogo com nois cabulosa, mano.”

A assessoria do PT respondeu à reportagem do Estadão e disse, mais uma vez, se tratar de uma “armação” contra o partido:

“Esta é mais uma armação como tantas outras forjadas contra o PT, e vem no momento em que a Polícia Federal está subordinada a um ministro acuado pela revelação de suas condutas criminosas. Quem dialogou e fez transações milionárias com criminosos confessos não foi o PT, foi o ex-juiz Sergio Moro, para montar uma farsa judicial contra o ex-presidente Lula com delações mentirosas e sem provas. É Moro que deve se explicar à Justiça e ao país pelas graves acusações que pesam contra ele.”


Um comentário:

  1. Como disse Bolsonaro, agora os bandidos irão morrer igual baratas nas ruas. Senta o dedo.

    ResponderExcluir



Topo